top of page

COMO FALAR DE IMPROVISO, VOCÊ SABE?


No artigo de hoje, irei abordar sobre algumas técnicas que ajudarão você a falar de improviso, um dos grandes anseios de muitas pessoas quando o assunto é falar em público!


Antes de comentar especificamente acerca das técnicas, é importante salientar que a improvisação deverá ser feita sobre um assunto que você já domina, que antes já aprendeu e internalizou. Nada de sair falando de um assunto que você não conhece. Por exemplo, no meu caso, posso falar a respeito de oratória de maneira improvisada, porém, não teria como falar de improviso sobre balé. O que eu sei sobre esse tipo de dança? Nada! Não sei nada!


Assim, não se aventure em improvisar sobre temas que você não conhece, uma vez que estará sujeito a situações constrangedoras que poderão afetar a sua imagem de orador.


Outra dica é em relação ao tempo da improvisação. Como sua fala não é devidamente preparada, é recomendável que você fale por, no máximo, de três a cinco minutos. Se você extrapolar esse tempo, arriscará dizer coisas indevidas das quais poderá se arrepender mais tarde.


Geralmente, as pessoas são convidadas para falar sobre assuntos que dominam. Por essa razão, não se arrisque falando de assuntos que não tenha conhecimento adequado e necessário para improvisar.


Outro ponto importante ao falar de improviso é procurar falar com animação e força. Essa atitude é positiva, pois você contagiará os ouvintes com seu entusiasmo e emoção latentes. Além disso, essa maneira de falar deixará você com mais energia, influenciando positivamente seu estado mental, já que o corpo e a mente fazem parte de um único sistema.


Outra dica relevante é que a estrutura da fala de improviso segue a lógica de uma de apresentação preparada, ou seja, tem início, meio e fim. No início, você deverá cumprimentar os ouvintes e, ao final, também deverá fazer o encerramento da sua participação. O grande desafio é justamente o meio da apresentação e a organização do seu desenvolvimento, o foco das técnicas que irei repassar a você a seguir.


A PRIMEIRA TÉCNICA DE IMPROVISAÇÃO É O “AQUI E O AGORA” – Quando você for convidado de maneira inesperada para falar diante de pessoas, procure observar alguns dos elementos que fazem parte do evento no qual esteja participando, porque eles poderão servir de inspiração para sua apresentação de improviso. Assim, observe os ouvintes. O que eles são? O que fazem? Que contribuição eles trazem para a empresa, a instituição ou para a sociedade? Outro elemento de improvisação é o próprio evento em si. É uma reunião, um aniversário ou um casamento? Qual o motivo de as pessoas estarem presentes? Qual a importância desse evento? Quais os benefícios que ele trará às pessoas?


Outro ponto que poderá ser o foco de sua abordagem de improvisação é citar e comentar alguma frase dita no recinto por outra pessoa. Assim, fique atento, pois tais frases poderão ser objeto da sua apresentação. Se você souber explorar bem esse ponto, será considerado pelos ouvintes como um orador de grande criatividade e inteligência, porque simplesmente retirou o assunto da própria ocasião.


A SEGUNDA TÉCNICA DE IMPROVISAÇÃO É A TÉCNICA MNEMÔNICA DAS VOGAIS – Na realidade, eu mesmo criei essa técnica, baseada nas minhas observações. Como a improvisação deverá ser realizada o mais breve possível, essa técnica advém das seguintes palavras-chave: “A” de Agradecer; “E” de Elogiar; “I” – de Importância; “O” – de Obrigado; e “U” de rUa. Dessa forma, quando você for falar de improviso, siga as seguintes orientações:


A – Agradeça a oportunidade;

E – Elogie a plateia (claro que sempre de forma sincera, você encontrará motivos para o elogio);

I – Fale sobre a importância do evento para as pessoas presentes ou para a sociedade;

O – diga Obrigado; e

rUa, ou seja, encerre imediatamente sua participação.


No papel de orador, quando for participar de eventos, nos quais existe a possibilidade de você falar, não perca tempo. Leve uma fala improvisada curta e preparada, observando as dicas aqui mencionadas.


Outra dica interessante sobre improvisação é você possuir algumas palavras-chave para diferentes eventos que podem ser objeto de sua explanação. Por exemplo, eventos como aniversários podem ser associados a palavras como vida, amizade, presentes, saúde, felicidade, entre outras. Por sua vez, compromisso, aliança, respeito e amor são palavras associadas a eventos tais como casamentos.


Fazer esse tipo de associação não é complicado, mas exige apenas prática com as palavras. Por esse motivo, comece logo a praticar.


Além das técnicas citadas, evidentemente há outras. Mas espero que a partir de hoje você passe a improvisar sabendo, conscientemente, o que está fazendo de fato e aonde pretende chegar com sua apresentação.


Grande abraço e fique sempre com Deus!

Comentários


bottom of page