top of page

VOCÊ TEM MEDO DO RIDÍCULO?


Em seu livro "O Poder da Ação", Paulo Vieira diz que "Quem tem medo do ridículo não se aproxima do extraordinário". Como você pode aplicar esse relevante princípio nas apresentações em público e torná-las bem marcantes na mente dos ouvintes?


Antes de falar sobre esse tema, faço um registro inicial: verdadeiramente ser ridículo, como exemplo, é você não se preparar adequadamente para a apresentação e não dominar o assunto que irá falar. Nesse sentido, sua atuação será realmente ridícula diante do público, porque a falta de preparo poderá trazer situações constrangedoras para você!


Agora, voltando ao assunto central deste tema, se você for verificar o significado da palavra ridículo em qualquer dicionário encontrará os seguintes sentidos: "digno de riso", "de zombaria", "que tem pouco valor" ou "insignificante". Contudo, o sentido da frase de Paulo Vieira vai muito mais além e significa algo totalmente diferente do sentido do dicionário. Na realidade, é você sair do usual, do mediano, daquilo que é comum, daquilo é feito pela maioria e fazer algo diferente em suas apresentações em público.


Imagine se eu pedisse para você falar com uma "voz de ratinho" diante de algumas pessoas. Você falaria ou julgaria que seria ridículo fazer tal coisa? Digo com certeza que a maioria das pessoas acharia ridículo e se recusaria a falar.


Mas, imagine você em uma apresentação em público contando uma história ou narrativa interessante, cujo personagem principal fosse um ratinho e falasse a seguinte frase, com a "voz de ratinho": "Meu amigo, quem tem medo do ridículo não se aproxima do extraordinário".


Com certeza, se você imitasse bem a "voz do ratinho" na história seria algo inesquecível para seus ouvintes, simplesmente porque isso não é algo comum que se faça em apresentações em público. Alguns supõem até não ser normal! E não fazem isso para não "pagar mico"!


No entanto, se você fizesse a imitação com desenvoltura e criatividade, sua apresentação seria lembrada por mais tempo pelos ouvintes, porque você ousou em ser “ridículo”! Por outro lado, a repercussão não seria a mesma, caso você apenas falasse a frase com sua voz normal, porque essa seria a atitude da maior parte das pessoas!


É importante ressaltar que, caso você não se sinta bem utilizando esse tipo de recurso, não o use. Respeite sua ecologia! Para usá-lo, você deverá se sentir confortável, estar bem consigo mesmo. Mas se tem talento, o que impede você de utilizá-lo?


Nos meus cursos de oratória, por exemplo, emprego esse recurso e convido os alunos para fazerem uso dele também, pois se trata de um estilo diferente de comunicação! Percebo que alguns têm muito talento com imitações, mas não o exploram em sua plenitude, simplesmente pelo medo da vergonha e, principalmente, pelo medo de ser ridículo! Porém, convido-os a pensar diferente e a usar e ousar em suas apresentações em público, sendo verdadeiramente criativos e extraordinários!


E, agora? Você ainda tem medo do ridículo?


Grande abraço e fique sempre com Deus!

Comments


bottom of page